Roda de conversa inédita no TCE aborda gestão de conflitos e negociação

Bymariana.oliveira

Pela primeira vez na história do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), a Escola de Contas e Capacitação Professor Pedro Aleixo e a Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP) realizam a Roda de Conversa: Gestão de Conflitos e Negociação. A informação foi dada pelo coordenador de capacitação da Escola, Henrique Quittes, que foi o responsável por dar as boas-vindas aos participantes. O evento aconteceu hoje (15/6/2018) no miniauditório da escola e atingiu diferentes públicos, desde técnicos até coordenadores e diretores de área. O encontro teve como objetivo contribuir com o desenvolvimento das habilidades necessárias para identificar, mediar e gerir enfrentamentos de conflitos. O tema atraiu vários interessados.

A diretora de gestão de pessoas do TCE, Joelma Conceição Zeferino, mediou o encontro que contou com as palestras da consultora Juliana Barbosa e do diretor executivo da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-MG), Álvaro Moreira. Joelma iniciou o evento dizendo que o “conflito é inerente à pessoa humana” e que as organizações públicas merecem o enfrentamento deste tema. “É um tema que já foi introduzido na capacitação dos gestores. Vemos cada vez mais que precisamos estar preparados para resolver os conflitos”, disse. A diretora também frisou a importância do desenvolvimento desta competência.

A consultora Juliana Barbosa falou sobre gestão de conflitos. Ela classificou “conflito” como um estado antagônico de ideias, pessoas ou interesses e informou que existem vários tipos de conflitos: individuais, grupais, funcionais, organizacionais e ambientais. No trabalho, a consultora destacou que uma das principais fontes de conflito é a comunicação ou a falta dela.

Álvaro Moreira, que é também consultor de relações trabalhistas e recursos humanos, ficou incumbido de falar sobre o tema da negociação. O palestrante explicou que “negociar é uma arte que pode ser aperfeiçoada”, é bilateral e busca uma decisão conjunta. Ele enumerou as etapas de uma negociação que passa pela preparação, confiança, abertura, exploração, fechamento e reconstrução. Ele assinalou que é importante facilitar possíveis negociações futuras e que o fim de uma negociação é o término de um conflito, fazendo uma relação com a palestra anterior. Álvaro brincou que quando as duas partes saem insatisfeitas é porque o acordo foi bom, ou seja, todos tiveram que abrir mão de alguma coisa.

Ao final das apresentações, os participantes puderam interagir com os palestrantes por meio de perguntas.


Karina Camargos Coutinho | Coordenadoria de Jornalismo e Redação | Diretoria de Comunicação Social

mariana.oliveira administrator

X