Fórum debate Governança de TI e de Gestão de Pessoas

Bymariana.oliveira

A tarde do segundo dia do I Fórum de Governança dos tribunais de contas do Estado (TCEMG) e da União (TCU) começou com a palestra sobre Governança de Tecnologia da informação (TI), com o auditor do TCU, André Luiz Furtado Pacheco. O palestrante lembrou que o setor público tem grande dependência da TI, de forma que funções vitais como arrecadação de impostos, programas sociais, Previdência e Judiciário não seriam feitas se seus sistemas falhassem. “O papel da TI é fazer a merenda escolar e os outros serviços públicos funcionarem bem”, explicou.[leia mais] 

Pacheco desenvolveu o conceito geral de governança, lembrando que historicamente esses mecanismos surgiram para resolver conflitos de interesse entre os principais de uma organização e seus agentes. “Na área pública os principais são os cidadãos, que contratam seus agentes por meio das eleições”, contextualizou. O auditor se preocupou em diferenciar a governança da gestão. “A governança controla se há o controle que deve ser exercido pelos gestores. Ela vai dar caminhos e cobrar resultados”, esclareceu.

André Luiz mostrou indicadores construídos com base em órgãos e entidades da União. Ele se mostrou preocupado com a segurança da informação. Segundo o estudo do TCU, a quantidade de órgãos que fazem a gestão de incidentes e, entre eles, de resposta à invasão de sites caiu de 24% para 16%, entre 2010 e 2012. Conforme o mesmo documento, em 46% dessas organizações a alta administração não estabeleceu objetivos de desempenho para a gestão de TI.


A palestra seguinte foi dada pelo Secretário de Fiscalização de Pessoal do TCU, Alessandro Giuberti Laranja. Falando sobre o tema Levantamento de Governança e Gestão de Pessoas na Administração Publica Federal, o gestor ressaltou que nesta área o objetivo da governança é cuidar de uma boa gestão de pessoas para que elas produzam resultados ao cidadão. “As pessoas são o principal ativo de uma organização, e a governança é feita para alinhar pessoas e negócio”, afirmou. Outras palestras da tarde foram “Consórcios públicos: desafios e oportunidades” e “Boas práticas na aplicação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas”.

Prefeito


O público-alvo do Fórum de Governança são os gestores públicos. O Prefeito do Município de Botelhos, no Sul de Minas, Mateus Jerônimo Guidi, foi um dos participantes. Na avaliação do chefe do governo municipal, o Fórum foi muito bom por discutir temas fundamentais para as transformações que o povo cobra do poder público. “A sociedade paga impostos e quer resultados. A governança é fundamental para as ações do estado coadunarem com os anseios das ruas”, elogiou Guidi.


Para o prefeito de Botelhos, o TCEMG e o TCU acertaram ao criarem eventos de capacitação simultâneos, cada um especializado em um público-alvo, abrangendo técnicos e gestores. Mateus Guidi trouxe para a Capital técnicos de seu governo que participaram das oficinas da II Conferência de Controle Externo. “Achei interessante essa idéia, porque a política não pode destoar da técnica para que a gestão fique bem feita”, concluiu.

 

 

 

mariana.oliveira administrator

X