Congresso apresenta painéis para o planejamento da Saúde Pública

Bymariana.oliveira

O financiamento e planejamento das políticas públicas na área de saúde foram o tema central de quatro painéis apresentados na manhã de hoje, 7/10, no auditório Topázio do Minascentro, em Belo Horizonte. O evento faz parte da programação do I Congresso Internacional de Controle e Políticas Públicas, realizado pelo Instituto Rui Barbosa com apoio institucional do Tribunal de Contas do Estado (TCEMG). O Conselheiro Ouvidor do TCEMG, José Alves Viana, presidiu a mesa do painel temático. O Presidente do TCEMG, Conselheiro Sebastião Helvecio, acompanhou atentamente os pronunciamentos.

A primeira oradora foi a Secretária-Adjunta de Saúde do Governo mineiro, Alzira de Oliveira Jorge. A médica apresentou o Planejamento das Políticas Públicas com Ênfase na Saúde Preventiva. Após relatar o histórico da criação do Sistema Único de Saúde (SUS), Alzira informou que o Brasil é o único país com população superior a 100 milhões de habitantes a adotar um sistema universal, público e gratuito. “No SUS, nós fazemos muito com pouco dinheiro, mas ainda é insuficiente para as necessidades da população. Precisamos fazer mais e melhor”, disse a Secretária-Adjunta.

O Consultor Técnico do Ibedess, o Instituto Brasileiro de Estudos e Desenvolvimento do Setor da Saúde, César Vieira, levou ao público presente informações sobre os Modelos de Assistência à Saúde no Cenário Mundial, Saúde Pública e Complementar no SUS-Brasil e em Perspectiva Comparativa. Ele explicou que qualquer sistema de saúde é composto pelo macrocontexto do país, pela sociedade, pelos financiadores, pelos prestadores do serviço e pelo Estado. Segundo Vieira, não existe nenhum sistema apenas público ou privado. No caso brasileiro, a classe de menor renda usa o SUS e faz gastos diretos com medicamentos; enquanto as classes média e alta usam o SUS para procedimentos de alta complexidade.

A Presidente do Hemominas, Júnia Guimarães Mourão Cioffi, traçou A Breve História do Programa Nacional do Sangue. Ela lembrou que o Presidente Sebastião Helvecio é considerado o pai do Hemominas por ser o criador da instituição e por tê-la transformado em fundação. O gerente de Desenvolvimento Institucional do Hemominas , Diogo Wanis Lara, também apresentou painel, sobre os Desafios para a Garantia da Execução da Política Estadual do Sangue.

mariana.oliveira administrator

X