TCEMG fala de suas auditorias operacionais e de combate à corrupção em congresso

Bymariana.oliveira

O Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG) encerrou sua participação hoje (11/5/2017) no 34º Congresso Mineiro de Municípios promovido pela Associação Mineira de Municípios (AMM). O TCEMG enviou o seu coordenador de Auditoria Operacional, Ryan Pereira, para falar aos gestores sobre “O Tribunal de Contas e as auditorias operacionais na Educação”. Além disso, na conferência magna do evento sobre o tema “Órgãos de controle no combate à corrupção, transparência, acesso à informação e ouvidoria”, o analista de Controle Externo do TCEMG, Gastão Pinheiro, explicou sobre como funciona a Ouvidoria do Tribunal.

 

O ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO DO TCEMG, GASTÃO PINHEIRO, EXPLICOU SOBRE COMO FUNCIONA A OUVIDORIA DO TRIBUNAL (FOTO: KARINA CAMARGOS COUTINHO)

A importância de se gerir bem a Educação nos municípios foi o tema norteador da palestra do coordenador de Auditoria Operacional do TCEMG, Ryan Pereira. Ele falou para secretários de Educação, prefeitos, vereadores, servidores municipais e professores. Ryan explicou que as auditorias operacionais feitas pelo Tribunal de Contas têm como objetivo aperfeiçoar a gestão dos municípios e não têm o intuito de punir os gestores. “Não é objetivo da auditoria operacional fazer com que o gestor seja penalizado, a intenção é detectar problemas”, disse.

O técnico do TCE também explicou que neste biênio (2017-2018), o Tribunal de Contas irá priorizar o controle da educação pública e, por isso, fará duas auditorias operacionais na área da Educação ainda este ano. Uma avaliará a educação infantil de 24 municípios mineiros e, a outra, avaliará os cinco primeiros anos do ensino fundamental em oito cidades. Ao todo, 32 municípios serão visitados pelos técnicos do Tribunal de Contas.

Público presente no painel de combate à corrupção (Foto: Karina Camargos Coutinho)

PÚBLICO PRESENTE NO PAINEL DE COMBATE À CORRUPÇÃO (FOTO: KARINA CAMARGOS COUTINHO)

Recentemente, o TCEMG foi a campo e avaliou a gestão, a infraestrutura e a valorização dos profissionais da Educação infantil de Belo Horizonte. Ao todo, dez creches e dez unidades municipais de educação infantil (Umeis) foram visitadas pelos técnicos do TCE na capital mineira.

De acordo com o coordenador, pela análise dos dados desta auditoria será elaborada uma “matriz de achados” e, posteriormente, um relatório será gerado. Outro avanço que o coordenador anunciou foi o monitoramento de uma auditoria realizada nas escolas públicas do Estado que oferecem o Ensino Médio. O processo é de relatoria do conselheiro Gilberto Diniz.

A secretária de Educação da cidade de Aricanduva (Jequitinhonha), Eleozina Farnezi, disse que achou a palestra excelente e se mostrou otimista com “essa parceria do Tribunal junto ao Poder Executivo” para melhorar a Educação (Foto: Karina Camargos Coutinho)

A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE ARICANDUVA (JEQUITINHONHA), ELEOZINA FARNEZI, DISSE QUE ACHOU A PALESTRA EXCELENTE E SE MOSTROU OTIMISTA COM “ESSA PARCERIA DO TRIBUNAL JUNTO AO PODER EXECUTIVO” PARA MELHORAR A EDUCAÇÃO (FOTO: KARINA CAMARGOS COUTINHO)

A secretária de Educação da cidade de Aricanduva (Jequitinhonha), Eleozina Farnezi, disse que achou a palestra excelente e se mostrou otimista com “essa parceria do Tribunal junto ao Poder Executivo” para melhorar a Educação.

Também proferiram palestras no Congresso, o coordenador da 4ª Coordenadoria de Fiscalização do Estado, Gustavo Terra, e o coordenador de Fiscalização e Avaliação da Macrogestão Governamental do Estado, Gustavo Vidigal. Ambos falaram sobre o tema do controle interno.


Karina Camargos Coutinho / Coordenadoria de Jornalismo e Redação

 

 

mariana.oliveira administrator

X