Author Archive mariana.oliveira

TCE firma parceira com outras entidades estaduais em Seminário de Integridade

Bymariana.oliveira

Centenas de monitores em todo o Estado de Minas Gerais estiveram conectados hoje, 28 de setembro, no mesmo canal, para assistirem ao 1º Seminário Mineiro de Integridade. O evento, realizado de forma on-line, é uma iniciativa conjunta do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG), Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais (DPMG) e Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), com o apoio da Transparência Internacional Brasil (TIBr).

Na solenidade de abertura, o controlador-geral do Estado de Minas Gerais, Rodrigo Fontenelle, ressaltou como a iniciativa pioneira demonstra o entrosamento entre todos os órgãos participantes. Além disso, Rodrigo também afirmou a importância de se debater sobre o assunto “integridade”, sobretudo para combater as adulterações. “Nós acreditamos que com ações preventivas, consigamos, não apenas combater a corrupção, mas também dar mais efetividade aos resultados para a população mineira”.

O conselheiro Mauri Torres, presidente do Tribunal de Contas mineiro, destacou o caráter vanguardista de Minas Gerais, sempre em prol da sociedade. Mauri alertou que o evento destaca a importância do combate à corrupção, mas também deve debater sobre a orientação pedagógica que as instituições estaduais devem levar aos gestores municipais.

O presidente do TCE lembrou que as próximas eleições, que serão realizadas extraordinariamente em novembro, vão renovar muitos ocupantes de cargos eletivos no poder municipal. “Às vezes, os candidatos eleitos chegam com pouco conhecimento da máquina pública e da dificuldade que é a legislação brasileira”, afirmou. Mauri convidou os representantes dos outros órgãos estaduais a incentivar pessoas comprometidas com a integridade e com a boa gestão dos recursos públicos para que ingressem na vida pública.

Juntos de Mauri Torres e Rodrigo Fontenelle, o Estado de Minas Gerais também esteve representado por autoridades como o governador, Romeu Zema Neto; o presidente da Assembleia Legislativa, Agostinho Célio Andrade Patrus; o presidente do Tribunal de Justiça, Gilson Soares Lemes; o defensor Público-Geral, Gério Patrocínio Soares; e o procurador-geral de Justiça, Antônio Sérgio Tonet.

Rede Mineira de Integridade

Além de reunir vários órgãos importantes em um só evento, o Seminário também foi cenário para a assinatura do Protocolo de Intenções para a criação da Rede Mineira de Integridade (RMI). O objetivo do acordo é o fortalecimento da atuação conjunta nas ações de fomento à integridade, prevenção e combate à corrupção, promoção da integridade e da ética pública, respeitadas as competências e atribuições de cada membro integrante. Guiada pelos princípios da cultura da integridade, da transparência e acesso à informação, do aprimoramento da qualidade dos serviços públicos, da confiança, da proatividade e inovação, da inclusão e acessibilidade, da ética e do interesse público, a RMI visiona o trabalho colaborativo e a ação coletiva para a difusão da cultura íntegra e ética tanto na Administração Pública, quanto nas relações entre o setor público e toda a sociedade.

Fazendo referência ao aniversário de 300 anos de Minas Gerais, comemorado este ano, o controlador-geral afirmou que a criação da Rede é um presente para o Estado.

A princípio, a formação será composta pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Governo do Estado de Minas Gerais, Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais e Ministério Público do Estado de Minas Gerais.

Programação
A palestra de abertura ficou por conta do diretor-executivo da TIBr, Bruno Andrade Brandão. O mineiro falou sobre a integração dos controles democráticos na promoção da integridade no setor público.

Amanhã, 29 de setembro, a partir das 10h, Fontenelle se reúne com a professora de Direito, Tatiana Camarão, responsável pelo desenvolvimento do programa Integridade no TJMG e com o professor da Escola de Políticas Públicas e Governo (EPPG) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Fernando de Barros Filgueiras, para debaterem os desafios e resultados de programas de integridade na Administração Pública.

Na parte da tarde, o tema “Tendências da integridade pública e no combate à corrupção” é apresentado pelo diretor-geral do Tribunal de Contas, Marconi Braga, junto com os especialistas Rodrigo Alberto Azevedo Couto e Fernanda Nunes Coelho Lana e Souza.

Os debates não param por aí! Dia 30 de setembro, o deputado estadual Guilherme da Cunha Andrade conversa com defensora pública Marina Lage Pessoa da Costa e com o professor Vidigal Fernandes Martins sobre a Integridade pública com foco na melhoria dos serviços prestados ao cidadão.

Em seguida, a consultora Nadia Masri-Pedersen, vai apresentar os caminhos seguidos pelo governo dinamarquês para alcançar o mais baixo índice de percepção de corrupção entre diversos países do mundo.

E como tudo fica mais fácil com arte, o encerramento do evento fica por conta do ator mineiro Odilon Esteves, que vai trazer uma sensibilização inspirada nos escritos Guimarães Rosa, abordando os dilemas éticos típicos da ação individual e as consequências destas escolhas no plano pessoal e coletivo.

O evento é aberto ao público. As inscrições ainda podem ser feitas aqui.

Participe!

Fred La Rocca | Coordenadoria de Jornalismo e Redação

Ainda dá tempo de garantir sua vaga para o 1º Seminário Mineiro de Integridade!

Bymariana.oliveira

Tem início, no dia 28 de setembro de 2020, o 1º Seminário Mineiro de Integridade, evento on-line que vai reunir especialistas em integridade e autoridades de todas as esferas de poder de Minas Gerais para debater temáticas relativas à integridade e prevenção à corrupção. O evento, aberto ao público, contará ainda com a assinatura do Protocolo de Intenções para a instituição da Rede Mineira de Integridade.

A partir de uma perspectiva positiva da integridade pública, em que o fortalecimento da cultura ética e o fomento de ações preventivas no combate à corrupção são vistos como essenciais para a melhoria dos serviços públicos e para o desenvolvimento de uma relação proba, sustentável e íntegra entre o setor público e o privado, o 1º Seminário Mineiro de Integridade tem como público-alvo tanto os públicos internos dos órgãos participantes quanto o público externo com interesse na área de integridade e a sociedade em geral.

O evento é uma iniciativa conjunta do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG), Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais (DPMG) e Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), com o apoio da Transparência Internacional Brasil (TIBr).

A Rede Mineira de Integridade

Durante o 1º Seminário Mineiro de Integridade, será assinado o Protocolo de Intenções para a criação da Rede Mineira de Integridade – RMI, cuja formação inicial será composta pelos seguintes órgãos estaduais: Governo do Estado de Minas Gerais, Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais e Ministério Público do Estado de Minas Gerais.

A Rede Mineira de Integridade tem como objetivo principal o fortalecimento da atuação conjunta nas ações de fomento à integridade, prevenção e combate à corrupção, promoção da integridade e da ética pública, respeitadas as competências e atribuições de cada membro integrante. Guiada pelos princípios da cultura da integridade, da transparência e acesso à informação, do aprimoramento da qualidade dos serviços públicos, da confiança, da proatividade e inovação, da inclusão e acessibilidade, da ética e do interesse público, a RMI visiona o trabalho colaborativo e a ação coletiva para a difusão da cultura íntegra e ética tanto na Administração Pública, quanto nas relações entre o setor público e toda a sociedade.

A partir da institucionalização formal da RMI, os órgãos signatários deverão indicar pontos focais dentro de seus quadros funcionais para o desenvolvimento conjunto de ações que vão ao encontro dos princípios da rede. Com o intuito de também envolver outras entidades do setor público e do setor privado após a sua institucionalização, incluindo as universidades e as organizações da sociedade civil, a criação da rede estabelece uma agenda positiva na valorização do setor público mineiro e na busca por uma sociedade mais íntegra, justa e sustentável.

Programação do evento

A Solenidade de Abertura do 1º Seminário Mineiro de Integridade contará com as autoridades máximas dos órgãos realizadores. Na ocasião, Romeu Zema Neto (Governador do Estado de Minas Gerais), Agostinho Célio Andrade Patrus (Deputado Estadual, Presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais), Gilson Soares Lemes (Desembargador Presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais), Mauri José Torres Duarte (Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais), Gério Patrocínio Soares (Defensor Público-Geral de Minas Gerais) e Antônio Sérgio Tonet (Procurador-Geral de Justiça de Minas Gerais) assinarão digitalmente o Protocolo de Intenções para a instituição da Rede Mineira de Integridade, estabelecendo os princípios e os objetivos da atuação articulada dos órgãos públicos de Minas Gerais.

Após a Solenidade de Abertura, Bruno Andrade Brandão, Diretor Executivo da Transparência Internacional Brasil, abordará a importância da integração entre os órgãos de controle nas ações de prevenção à corrupção e fomento à integridade pública.

A 1º Sessão de Debate do 1º Seminário Mineiro de Integridade trará uma discussão sobre a implementação dos Planos de Integridade no setor público. A partir das experiências da CGE-MG e TJMG, os debatedores trarão suas visões sobre os benefícios dos planos de integridade e dos principais desafios enfrentados pelos órgãos.

A 2ª Sessão de Debate do 1º Seminário Mineiro de Integridade, reunindo o MPMG e o TCE-MG, abordará as práticas contemporâneas de integridade e prevenção da corrupção, buscando também analisar as principais tendências, no Brasil e no mundo, dentro dessa área.

A 3ª Sessão de Debate do 1º Seminário Mineiro de Integridade tem como foco a integridade a partir da perspectiva do cidadão. A DPEMG e a ALMG, instituições reconhecidas pelos serviços públicos oferecidos diretamente à população, discutirão como a melhoria dos serviços oferecidos em suas instituições é uma importante ação no sentido do fomento à integridade pública.

Na Palestra de Encerramento do 1º Seminário Mineiro de Integridade, a consultora Nadia Masri-Pedersen, especialista no desenvolvimento da boa governança, analisará o caminho seguido pelo governo dinamarquês para alcançar o mais baixo índice de percepção de corrupção dentre todos os países avaliados pela Transparência Internacional, no Corruption Perceptions Index.

Garanta logo a sua vaga!
Faça a sua inscrição aqui!

TCEMG lança projeto de capacitação para candidatos a prefeito

Bymariana.oliveira

O Tribunal de Contas de Minas Gerais, reforçando sua atuação pedagógica, um dos pilares da atual gestão, lançou mais um projeto de capacitação: “Prefeito Ciente, Município Eficiente”. O projeto visa capacitar os candidatos a prefeitos no pleito deste ano, ministrando treinamentos básicos sobre a planejamento na administração pública, parcerias com a União, controle de processos administrativos e prestação de contas eleitorais. Os quatro painéis online ocorrerão nas sextas-feiras do mês de outubro, entre os dias 02 e 23, sempre a partir das 10h. Clique aqui e faça sua inscrição.

A primeira palestra, no dia 02/10, será sobre Prestação de Contas Eleitorais, ministrada pelo analista Judiciário e coordenador de Controle de Contas Eleitorais e Partidárias do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais – TRE-MG, Júlio César Diniz Rocha. A abertura será feita pelo presidente do TCEMG, conselheiro Mauri Torres, com os debates mediados pelo chefe-de-gabinete da presidência, Carlos Pavan. No dia 9/10, o painel será sobre planejamento na gestão pública, com palestras de Bruno Oliveira, procurador da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, e Rodrigo Matias, servidor público da Seplag/MG. O mediador será o analista de Controle Externo do TCEMG, Pedro Henrique Azevedo. 

No dia 16/10, será ministrado o painel “Parcerias com a União”, com exposições de Regina Lemos Andrade, Diretora do Departamento de Transferências da União – DETRU, do Ministério da Economia, Ulisses Anacleto Pereira Orlando, Chefe da Divisão de Operacionalização do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e Célia Rodrigues Lima, servidora da equipe de gestora Siops no Ministério da Saúde. A mediação ficará sob a responsabilidade de Paulo Vicente Guimarães, analista de Controle Externo do TCEMG.

O último painel online da capacitação será no dia 23/10, e debaterá sobre controles internos e processos administrativos, com palestra de Claudia Mara Emediato e José Clemente, analistas de Controle Externo do TCEMG. Neste dia, a Associação Mineira de Municípios também apresentará seus serviços e atuações aos inscritos, com a presença virtual de seu presidente, Julvan Lacerda. Os trabalhos serão mediados pelo diretor-geral do Tribunal de Contas, Marconi Braga.

Treinamento presencial

No dia 27 de outubro, o Tribunal de Contas planeja a realização de um treinamento presencial, exclusivo para candidatos a prefeito, com temas variados, permitindo o estreitamento de laços entre TCEMG e postulantes ao cargo de chefe do Executivo municipal. Entre os temas a serem debatidos, estão um aprofundamento sobre as competências e atuações do TCEMG, um panorama geral da Lei 4.320/64 e da Lei Complementar 101/00, prestações de contas anuais, aplicativos desenvolvidos pela Corte de Contas mineira e o Projeto Receitas, de fomento ao incremento das receitas próprias dos municípios. 

As inscrições para o evento presencial, exclusivamente para candidatos a prefeito, devem ser feitas previamente, pelo site da Escola de Contas do TCEMG. O controle de acesso ao evento será feito mediante conferência, no credenciamento, de respectivo registro de candidatura à prefeito. O treinamento será na Fundação Dom Cabral, Campus Aloysio Faria, situado na avenida Princesa Diana, nº 760, Alphaville – Lagoa dos Ingleses, em Nova Lima.  As inscrições serão abertas no dia 03/10, com lotação máxima de 150 pessoas, com o objetivo de respeitar o distanciamento entre os participantes, em virtude da pandemia da Covid-19. Todo o evento seguirá os protocolos estaduais para prevenção da disseminação do novo Coronavírus, que serão divulgados posteriormente.

A capacitação dos candidatos a prefeito em Minas Gerais será executada pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, em parceria com o Ministério da Justiça, por meio do Fundo de Defesa de Direitos Difusos. O evento tem apoio do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão de Minas Gerais, do Ministério da Economia por meio do Departamento de Transferências da União, do Ministério da Educação/Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNFE, por meio da Coordenação de Operacionalização do SIOP e de Apoio Operacional ao Salário Educação e ao FNDE, do Ministério da Saúde, por meio do Coordenadoria do SIOPS, e da Associação Mineira de Municípios – AMM.

Clique abaixo e saiba mais sobre todo o evento.

https://libano.tce.mg.gov.br/eeventos/prefeitociente

Lucas Borges / Coordenadoria de Jornalismo e Redação 

Vem aí o 1º Seminário Mineiro de Integridade!

Bymariana.oliveira

Tem início, no dia 28 de setembro de 2020, o 1º Seminário Mineiro de Integridade, evento on-line que vai reunir especialistas em integridade e autoridades de todas as esferas de poder de Minas Gerais para debater temáticas relativas à integridade e prevenção à corrupção. O evento, aberto ao público, contará ainda com a assinatura do Protocolo de Intenções para a instituição da Rede Mineira de Integridade.

A partir de uma perspectiva positiva da integridade pública, em que o fortalecimento da cultura ética e o fomento de ações preventivas no combate à corrupção são vistos como essenciais para a melhoria dos serviços públicos e para o desenvolvimento de uma relação proba, sustentável e íntegra entre o setor público e o privado, o 1º Seminário Mineiro de Integridade tem como público-alvo tanto os públicos internos dos órgãos participantes quanto o público externo com interesse na área de integridade e a sociedade em geral.

O evento é uma iniciativa conjunta do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG), Controladoria-Geral do Estado de
Minas Gerais (CGE-MG), Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais (TJMG), Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais (DPMG) e Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), com o apoio da Transparência Internacional Brasil (TIBr).


A Rede Mineira de Integridade


Durante o 1º Seminário Mineiro de Integridade, será assinado o Protocolo de Intenções para a criação da Rede Mineira de Integridade – RMI, cuja formação inicial será composta pelos seguintes órgãos estaduais: Governo do Estado de Minas Gerais, Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais e Ministério Público do Estado de Minas Gerais.

A Rede Mineira de Integridade tem como objetivo principal o fortalecimento da atuação conjunta nas ações de fomento à integridade, prevenção e combate à corrupção, promoção da integridade e da ética pública, respeitadas as competências e atribuições de cada membro integrante. Guiada pelos princípios da cultura da integridade, da transparência e acesso à informação, do aprimoramento da qualidade dos serviços públicos, da confiança, da proatividade e inovação, da inclusão e acessibilidade, da ética e do interesse público, a RMI visiona o trabalho colaborativo e a ação coletiva para a difusão da cultura íntegra e ética tanto na Administração Pública, quanto nas relações entre o setor público e toda a sociedade.

A partir da institucionalização formal da RMI, os órgãos signatários deverão indicar pontos focais dentro de seus quadros funcionais para o desenvolvimento conjunto de ações que vão ao encontro dos princípios da rede. Com o intuito de também envolver outras entidades do setor público e do setor privado após a sua institucionalização, incluindo as universidades e as organizações da sociedade civil, a criação da rede estabelece uma agenda positiva na valorização do setor público mineiro e na busca por uma sociedade mais íntegra, justa e sustentável.


Programação do evento

A Solenidade de Abertura do 1º Seminário Mineiro de Integridade contará com as autoridades máximas dos órgãos realizadores. Na ocasião, Romeu Zema Neto (Governador do Estado de Minas Gerais), Agostinho Célio Andrade Patrus (Deputado Estadual, Presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais), Gilson Soares Lemes (Desembargador Presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais), Mauri José Torres Duarte (Conselheiro Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais), Gério Patrocínio Soares (Defensor Público-Geral de Minas Gerais) e Antônio Sérgio Tonet (Procurador-Geral de Justiça de Minas Gerais) assinarão digitalmente o Protocolo de Intenções para a instituição da Rede Mineira de Integridade, estabelecendo os princípios e os objetivos da atuação articulada dos órgãos públicos de Minas Gerais.

Após a Solenidade de Abertura, Bruno Andrade Brandão, Diretor Executivo da Transparência Internacional Brasil, abordará a importância da integração entre os órgãos de controle nas ações de prevenção à corrupção e fomento à integridade pública.

A 1º Sessão de Debate do 1º Seminário Mineiro de Integridade trará uma discussão sobre a implementação dos Planos de Integridade no setor público. A partir das experiências da CGE-MG e TJMG, os debatedores trarão suas visões sobre os benefícios dos planos de integridade e dos principais desafios enfrentados pelos órgãos.

A 2ª Sessão de Debate do 1º Seminário Mineiro de Integridade, reunindo o MPMG e o TCE-MG, abordará as práticas contemporâneas de integridade e prevenção da corrupção, buscando também analisar as principais tendências, no Brasil e no mundo, dentro dessa área.

A 3ª Sessão de Debate do 1º Seminário Mineiro de Integridade tem como foco a integridade a partir da perspectiva do cidadão. A DPEMG e a ALMG, instituições reconhecidas pelos serviços públicos oferecidos diretamente à população, discutirão como a melhoria dos serviços oferecidos em suas instituições é uma importante ação no sentido do fomento à integridade pública.

Na Palestra de Encerramento do 1º Seminário Mineiro de Integridade, a consultora Nadia Masri-Pedersen, especialista no desenvolvimento da boa governança, analisará o caminho seguido pelo governo dinamarquês para alcançar o mais baixo índice de percepção de corrupção dentre todos os países avaliados pela Transparência Internacional, no Corruption Perceptions Index.

Garanta logo a sua vaga! Faça a sua inscrição aqui!

Seminário online apresenta aula prática de auditoria financeira

Bymariana.oliveira

O Tribunal de Contas de Minas Gerais realizou, nesta quinta-feira (10/09), o seminário online “Auditoria financeira: a teoria em ação”. O evento teve por objetivo demonstrar como colocar em prática uma auditoria financeira a partir do case de um ente federativo simulado. A abertura do seminário, mediado pelo conselheiro-substituto do TCEMG Adonias Fernandes, teve palestra do conselheiro corregedor do TCEBA, Inaldo Araújo. A “aula prática” de auditoria financeira foi ministrada pelo analista de Controle Externo do TCEMG, Filipi  Oliveira. 

A superintendente de Controle Externo do Tribunal Mineiro, Flavia Alice Lopes iniciou os trabalhos. “Parabenizo toda a equipe de Auditoria Financeira do nosso tribunal pelo brilhante trabalho desenvolvido nos últimos anos. Esse é o segundo evento da área que realizamos neste ano, após o 1º Fórum de Auditoria Financeira do IRB. É uma atividade essencial para o completo trabalho de controle externo. Em nome do presidente Mauri Torres, agradeço a participação de todos”. 

Adonias Monteiro falou sobre a importância do evento. “Um seminário inovador, pois foi planejado para focar na prática, e não apenas na teoria, de uma auditoria financeira. Vamos mostrar todo o fluxo de trabalho, todas as etapas, incluindo planejamento, execução, finalização e emissão de relatórios”. 

Inaldo Araújo fez as considerações iniciais sobre o processo de auditoria financeira, relembrando sua história e legislação vigente, reforçando a importância desses trabalhos na consolidação de democracia. “A classe política eleita tem obrigação legal de fazer demonstrativos contábeis da arrecadação e dos gastos públicos. Esses documentos são avaliados e, posteriormente, validados ou não por processos de auditoria, via chancela dos Tribunais de Contas de todo o país. A auditoria diz ao público em geral se tais documentos estão corretos ou não”.

Aula prática

Coube ao analista do TCEMG, Filipi Oliveira, ministrar a aula prática, carro-chefe do seminário virtual. Ao longo do evento, Filipi apresentou os principais papéis de trabalho de planejamento, execução, finalização e elaboração de relatório, bem como a construção do raciocínio que embasou o preenchimento desses papéis.

O analista fez uma introdução sobre a entidade auditada, incluindo aspectos como histórico, premissas, operações e demonstrações financeiras. Em seguida, discorreu sobre as quatro etapas do processo de auditoria financeira: planejamento, execução, finalização e emissão de relatório. No planejamento, Filipi ressaltou aspectos como análises preliminares, avaliação de risco, respostas a riscos, procedimentos adicionais e pedido de análise e solicitações para fase de execução.

O próximo passo foi demonstrar a execução, mostrando testes de eficácia operacional de controles, procedimentos analíticos substantivos, teste de detalhes e conclusão sobre a área de auditoria (FSA). Por fim, o analista do TCEMG expôs os procedimentos de finalização e emissão de relatório de auditoria, incluindo os reflexos na matriz de achados e cédula de efeitos, relatório sobre deficiências de controle interno e comentários da administração, e a redação final da opinião da equipe de auditoria. 

A aula sobre auditoria financeira foi acompanhada por mais de 300 alunos, de tribunais de contas e entidades parceiras de todo o país. Para saber sobre mais eventos realizados pela Escola de Contas do TCEMG, acesse o site, clicando aqui

Lucas Borges / Coordenadoria de Jornalismo e Redação

X